Saúde e Cidadania nos Ilês de Guarujá e região.


 
 

FINANCIAMENTO: Secretaria de Estado da Saúde - Programa Estadual de DST/AIDS e Hepatites Virais de SP.

POPULAÇÃO ALVO:

01 - Homens e Mulheres em situação de vulnerabilidade social, adeptos as religiões de matrizes africanas;

02 - População LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais).

ÁREA GEOGRÁFICA ABRANGIDA PELO PROJETO: Este Projeto será desenvolvido no município de Guarujá, com a possibilidade de ampliação a mais um município da Região da Costa da Mata Atlântica, de acordo com a formalização de parcerias com outros municípios locais, a ser discutido no Fórum Regional de Dirigentes em AIDS da GVE 25.

OBJETIVO DO PROJETO: Este projeto tem por objetivo contribuir para a diminuição da vulnerabilidade a AIDS e outras DST junto aos espaços de religião de matriz africana (umbanda e candomblé), no município de Guarujá, com a possibilidade de ampliação a mais um município, através de ações de prevenção a AIDS e outras DST, gênero, conjugalidade, violência sexual, sexismo, racismo, combate a homofobia e outras vulnerabilidades, promovendo meios para aumentar sua autoestima, minorar a vulnerabilidade social e individual, assim como estimular a construção de um espaço de promoção da saúde e cidadania.

DIAGNÓSTICO DO CONTEXTO DE VULNERABILIDADE: Justificativa da Proposição

A Região da Costa da Mata Atlântica – BS é considerada prioritária para o controle da epidemia das DST e AIDS, visto a alta incidência dos casos notificados que, somando os 09 municípios que a compõem, ocupam o 4.° lugar.[1]

Analisando os demais dados correlacionados a AIDS no Estado de São Paulo, temos o seguinte panorama da região: a) Mortalidade por AIDS (1º lugar, com 12,0 %); b) Sífilis adquirida[2] (3º lugar, com 1.744 casos); c) Corrimento Uretral Masculino[3] (4º lugar, com 5,2%); d) Doenças causadas por HIV (2011): entre mulheres de 25 a 34 anos ocupam o 2º lugar. Entre homens de 25 a 34 anos, ocupam o 4º lugar; e) Hepatites[4] B e C no Estado de São Paulo, no ano de 2012: 3.940 casos (B) e 6.087 casos (C).

Com relação ao município de Guarujá, a sua população é de 290.752 habitantes IBGE) e considerado prioritário para o controle da epidemia das DST e AIDS, visto a alta incidência das suas notificações. Os dados epidemiológicos do município comprovam tal afirmação: 14.ª cidade do Estado de São Paulo em casos de AIDS (2.212); 15,9 a sua taxa de incidência por 100 mil habitantes; 8,7 a sua taxa de mortalidade, acima da média de 6,5 do Estado de São Paulo[5].

Dentre os motivos desta vulnerabilidade regional estão às características da região, tais como: Baixo IDH, população de característica transitória, presença de porto, trânsito e fluxo de caminhões do país inteiro, fluxo turístico, etc.

No caso dos espaços de religiões de matrizes africanas, entendemos que suas características, tanto social como geográficas propiciam a discussão de ações afirmativas de saúde, cidadania e prevenção a AIDS e outras DST, para além da fé, devido à diversidade e pluralidade cultural e humana existente dentro de seu território. O pai ou mãe de santo, devido ao seu papel social, são legítimos agentes promotores de saúde e cidadania, necessitando apenas de instrumentalização acerca das políticas públicas vigentes e seu reconhecimento enquanto parte da rede de atenção.

Acresce ainda o fato da existência de algumas práticas em seus rituais litúrgicos, como a utilização e/ou compartilhamento de instrumentos de cortes no processo de abertura de cura[6], o binômio saúde e fé e sua correlação com as crenças e o misticismo, a acolhida e adesão de segmentos específicos em seus espaços, notadamente o público LGBT, visto que é a religião que mais acolhem esta parcela da população.

 

PERÍODO DE EXECUÇÃO DO PROJETO: 2016/2018

 



Publicado em 19/02/2016 às 11:07

Pesquisar no site
Apoio/Colaboração
Fechar
Como chegar?